Um guia completo para conhecer a Rota Romântica da Alemanha

Romantische Straße, a “Estrada Romântica” da Alemanha, costuma figurar no topo das rotas mais bonitas do mundo, dada a magnífica e bem-cuidada arquitetura medieval, os imponentes Alpes no horizonte e algumas das cidadezinhas mais pitorescas que a Europa tem a oferecer.

A rota existe há séculos, mas a publicidade de Rota Romântica começou nos anos 1950, quando a Alemanha pós-guerra tentava desesperadamente atrair mais turistas para a região. Ao longo de seus 350 km, a estrada começa na histórica cidade de Würzburg e termina perto da fronteira austríaca, na cidadezinha de Füssen.

A maneira mais fácil de cruzar a rota é de carro, parando ao longo do caminho e apreciando os vilarejos e cidades. Outras opções incluem um bus tour, de bicicleta ou até a pé.

Inspire-se nos grandes compositores alemães com essa playlist e curta uma road trip inesquecível.

Dia 1 – Chegada em Frankfurt

Römerberg, a antiga praça central de Frankfurt

Römerberg, a antiga praça central de Frankfurt

Comece a viagem em Frankfurt– a quinta maior cidade da Alemanha, centro financeiro do continente europeu e onde nasceu o hot dog.

Não deixe os arranha-céus de aço engarem você. Frankfurt é, no fundo, uma cidade tradicional. Passeie pelo Altstadt (o centro histórico) e pare na antiga praça central Römerberg. Ainda que a maioria dos edifícios tenha sido destruída durante os bombardeios da Segunda Guerra Mundial, dá para ter uma noção de como a cidade era antigamente, graças a uma extensa reconstrução. Se sobrar tempo, visite alguns dos museus da cidade: veja os mestres europeus no Museu Städel e aprenda sobre o mais famoso escritor alemão no Goethe-Haus.

Não vá embora antes de saborear uma Frankfurter Würstchen (salsicha de porco defumado), acompanhado pelo vinho de maçã Apfelwein.

Dica de hotel: 25hours Hotel By Levi’s [diárias a partir de €72 (R$ 213)]

Dias 2-3 – Würzburg

Toda a beleza da Würzburger Residenz

Toda a beleza da Würzburger Residenz

A Estrada Romântica começa em Würzburg, localizada a uma hora de carro de Frankfurt. Construída ao redor do Rio Meno e rodeada por belas, Würzburg possui uma arquitetura impressionante e ótimos vinhos.

Em 686, três missionários irlandeses chegaram à cidade e tentaram convertê-la ao cristianismo. Apesar de fracassarem na tentativa, décadas depois foram santificados e hoje são considerados mártires, e Würzburg tornou-se uma cidade de peregrinação. Ao mesmo tempo, tornou-se uma diocese quando São Bonifácio foi apontado bispo.

Mais tarde, Würzburg também tornou-se um ducado, o que significa que a cidade foi comandada por príncipes-bispos que trouxeram sua riqueza para lá. Sob essa liderança, a cidade passou por um período de crescimento e enriquecimento, que são exemplificados em locais como o palácio barroco Würzburger Residenz, que já foi a residência do príncipe-bispo reinante; a igreja em estilo rococó Käppele; e também a Festung Marienberg, uma fortaleza medieval situada no topo da cidade e rodeada por vinhedos.

A linda vista da Festung Marienberg, rodeada por vinhedos

A linda vista da Festung Marienberg, rodeada por vinhedos

Com vinhedos imensos ao redor da cidade, não faltam oportunidades para provar o melhor da produção de vinhos locais. Uma das vinícolas mais antigas e famosas é a Würzburger Stein, que fica fora da cidade, e com 12 séculos de experiência.

Dica de hotel: Novotel Würzburg [diárias a partir de €96 (R$ 317)]

Dias 3-4 – Vale Tauber

Karlsquelle, uma das fontes de água potável da cidade-spa Bad Mergentheim

Karlsquelle, uma das fontes de água potável da cidade-spa Bad Mergentheim

A meros 30 minutos de carro de Würzburg, fica Tauberbischofsheim, na ponta oeste do Vale Tauber. O nome significa, literalmente, “casa do biso de Tauber”, e a história da cidade é marcada por práticas religiosas.

Descobertas arqueológicos revelaram uma longa história de assentamentos que datam de 3000 a.C., ainda que a primeira menção escrita seja do século 9, em conexão à vida da missionária inglesa Lioba. Hoje, ela é a santa padroeira de Tauberbischofsheim, e uma visita ao Liobakirche (Igreja de Santa Lioba) dá uma boa visão sobre sua vida dedicada à educação das mulheres.

Volte para a estrada, e prepare-se para não ficar muito tempo sentado. A próxima parada é Bad Mergentheim, lar de um dos spa-resorts do sul da Alemanha. As fontes ricas em sais minerais contém águas com sulfato de sódio, que são especialmente efetivas no tratamento de problemas digestivos. Aproveite as ofertas de massagens, tratamentos de Ayurveda ou uma boa sauna.

Passeie por entre os diversos vinhedos de Lauda-Königshofen

Passeie por entre os diversos vinhedos de Lauda-Königshofen © Holger Uwe Schmitt

Outra ótima opção é fazer um wine tour, combinando degustações de vinho com comida, história, música e belas caminhadas.

Dica de hotel: Kur Hotel Alexa [diárias a partir de €119 (R$ 406)]

Dias 5-6 – Rothenburg ob der Tauber

Markusturm data do século 12 e foi uma das primeiras cidades fortificadas

Markusturm data do século 12 e foi uma das primeiras cidades fortificadas

Depois de relaxar e energizar-se, é hora de se inspirar com os muitos atrativos medievais de Rothenburg ob der Tauber. O nome significa “fortaleza vermelha sobre o Tauber” e refere-se à localização da idade com vista para o Rio Tauber e os telhados vermelhos das casas. As muralhas bem-preservadas de Rothenburg são trespassadas por 42 portões e torres. Faça uma parada em Klingentor, usada como caixa d’água; em Markusturm, uma das primeiras fortificações; e Rathausturm, para uma vista panorâmica da cidade.

Caminhando pelas ruas de pedra, nota-se que cada prédio é especial. Entre eles, o Fleisch-und Tanzhaus (Casa da Carne e Dança), com seu formato curioso; o Hegereiterhaus com sua torreta em estilo lanterna; e o Rathaus, com diversas influências arquitetônicas.

Junte-se aos festejos do festival histórico de Meistertrunk, um dos mais famosos de Rothenburg

Junte-se aos festejos do festival histórico de Meistertrunk, um dos mais famosos de Rothenburg

Rothenburg também sedia alguns eventos interessantes ao longo do ano. O Historischer Schäfertanz (The Shepard’s Dance) é uma espécie de baile coreografado que data do século 15, e acontece várias vezes ao ano. O Festival de Vinhos de Rothenburg combina degustações de vinho com comida e música, e acontece no mês de agosto. O festival histórico Meistertrunk (Master Draught) conta a heroica história do Prefeito Nusch, que salvou a cidade da destruição, e ocorre durante as festas pentecostais.

Dica de hotel: Romantik Hotel Markusturm [diárias a partir de €133 (R$ 446)]

Dias 6-8 – Augsburg

Toda a imponência de Castelo de Harburg

Toda a imponência de Castelo de Harburg

Siga pela estrada ao sul em direção a Augsburg, a terceira cidade mais antiga da Alemanha. Ao longo do caminho, você passará por Dinkelsbühl, uma cidade que atrai multidões durante o Kinderzeche, um festival infantil anual que acontece em julho. Lá, você verá uma encenação do resgate das crianças da cidade, comandada pela filha do guardião.

Nördlingen também vale uma visita – além das belas muralhas preservadas, também pelo Museu Rieskrater, onde aprende-se sobre o meteoro que atingiu a área há 15 milhões de anos.

Para os que adoram castelos, não dá para deixar de visitar Harburg. Pairando imponente sobre a tranquila cidade, o Castelo de Harburg é um lindo exemplo da arquitetura medieval, com direito a torre, masmorra, sentinelas e salão de bailes.

A Fonte de Hércules, com a Basílica St. Ulrich und Afra ao fundo

A Fonte de Hércules, com a Basílica St. Ulrich und Afra ao fundo

Cansou? Calma, você está chegando ao último destino do dia, Augsburg. A cidade foi fundada pelos enteados do Imperador Augusto em 15 a.C., e teve status de cidade imperial livre até o início do século 19. Isso significa que a cidade era governada de forma independente do Império Romano Sagrado. Graças ao próspero comércio têxtil, a cidade dispunha de grandes receitas, capazes de construir palácios luxuosos, fontes barrocas e igrejas barrocas.

Dica de hotel: Steigenberger Drei Mohren [diárias a partir de €125 (R$ 419)]

Dias 8-9 – Schwangau, a terra dos castelos

Castelos de conto-de-fadas tomam conta da paisagem, como o de Hohenschwangau

Castelos de conto-de-fadas tomam conta da paisagem, como o de Hohenschwangau

Em Schwangau está uma das atrações mais famosas da Alemanha, o Castelo de Neuschwanstein, que tem tanta cara de conto de fadas que inspirou o castelo da Bela Adormecida da Disneylândia. Encomendada pelo Rei Luís II da Baviera como um retiro particular, a construção conta com diversas estruturas decoradas com torres, sacadas, pináculos e esculturas. O resultado é um conjunto extremamente estilizado e incrível de se admirar.

Não gosta de filas? Faça uma caminhada até Marienbrücke, a ponte suspensa por detrás do castelo e admire o castelo em toda a sua glória. Outra opção é o menos visitado Hohenschwangau, o castelo vizinho onde o Rei Luís II cresceu e sonhava com seu mágico castelo.

Esse tipo de atividade turística consome a energia até mesmo dos viajantes mais experientes. Hora, então, de uma merecida pausa para relaxar, e Füssen será o local perfeito para tal. A última cidade da Rota Romântica fica aos pés dos Alpes. Há opções de atividades ao ar livre, como caminhadas e andar de bicicleta; ou, para descansar de verdade, um dia de mimos em um dos spas da cidade.

Dica de hotel: Hotel Schlosskrone [diárias a partir de €77 (R$ 260)]

Dia 10 – Saída de Munique

Ande duas horas de carro até Munique e, se sobrar tempo, passe por Viktualienmarkt, e almoce no famoso mercado público da cidade. O que provar por lá? Não perca a Weisswurst (salsicha bavária), servida com mostarda doce e pretzel, e acompanhada por uma Weissbier, a cerveja local.

Quer mais inspiração para viajar? Prepare-se para sua viagem, conhecendo mais curiosidades sobre a Alemanha e também como planejar uma road trip de sucesso. Para mais dicas de viagem imperdíveis, visite o blog momondo.
Cidades Ver todos
O que fazer em Roma: um mini-guia de viagem
— 6 mins de leitura

O que fazer em Roma: um mini-guia de viagem